O amor nos conduz à uma vida mais plena?

Há uma estratégia clássica para avaliarmos o nosso comportamento dentro dos relacionamentos: nos questionarmos o que gostaríamos de dizer a essas pessoas com as quais nos relacionamos se hoje fosse o nosso último dia na terra.

Muitas vezes deixamos de lado a certeza da finitude de nossas vidas e seguimos conduzindo nossos relacionamentos de uma maneira desalinhada com o que consideramos como o ideal. Sentimos que sempre teremos tempo. Dizemos para nós mesmos que quando a faculdade terminar, vamos priorizar a dedicação às pessoas que amamos. Acreditamos que quando conquistarmos o emprego, comprarmos a casa que desejamos ou quando nos aposentarmos, teremos mais tempo disponível para melhorarmos a qualidade da nossa dedicação aos outros e a nós mesmos.

Fazemos isso porque, sempre que entramos em um relacionamento, ficamos cara a cara com nossos medos mais profundos. Nossos parceiros, amigos íntimos, nossos filhos, nossos pais – aqueles pelos quais nos importamos mais profundamente – são os espelhos mais vívidos que a vida tem a oferecer. Relacionamentos refletem de volta para nós nosso condicionamento, necessidades de condução e nossos sistemas de crenças. É por isso que a qualidade de sua vida é realmente a qualidade de seus relacionamentos. Portanto, não é de admirar que os relacionamentos sejam tão importantes para nós, e também a razão pela qual nossos relacionamentos carregam consigo uma carga tão forte.

A verdade é que você pode resolver qualquer coisa com os que você ama se você deixar de lado qualquer carga de culpa. Afinal, todo relacionamento nos oferece a oportunidade de aprender alguma coisa, incluindo as coisas que nos deixam com raiva, frustrados ou com medo. Essas surpresas não vêm dos nossos parceiros, elas vêm do nosso condicionamento, impressões passadas e nossos modelos do mundo. (Incluindo os modelos dos quais nem gostamos.)

A partir desses modelos do mundo vêm todas as expectativas que temos de nós mesmos e de nossos parceiros. As surpresas vêm de nossas próprias regras e expectativas e as histórias de culpa que dizemos.

Então, se você soubesse que hoje era seu último dia na terra, o que você comunicaria aos seus amados? Como você amaria? Quais histórias você deixaria ir? Se você tivesse o luxo de saber que era a última vez que você os veria, o que não valeria mais a chateação?

Um relacionamento é um lugar onde vamos dar algo, não um lugar onde vamos para satisfazer nossas necessidades. Decida como você vai aparecer. Quem você está disposto a se tornar para aqueles que você ama. Em que estado você estaria se este fosse o último momento que você teve juntos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s