A escolha da máquina de lavar para uma casa acessível

A escolha da máquina de lavar para uma casa acessível

Antes de ir morar sozinha, nem em meus sonhos mais distantes eu poderia imaginar a importância de uma máquina de lavar para uma casa. Ponto para quem aposta que a melhor forma de descobrir as coisas é vivendo. Roupas delicadas, roupas de cama, mesa e banho, roupas claras, escuras e coloridas, roupas que soltam tinta e eu confesso que levei um tempo (e perdi algumas peças) até me familiarizar com todos esses detalhes que eram completamente alheios ao meu mundo. O aprendizado foi tão intenso que, sem dúvidas, ele merece um compartilhamento de dicas sobre como escolher uma máquina de lavar para uma casa completamente acessível. Continue lendo “A escolha da máquina de lavar para uma casa acessível”

Quatro rodas, duas mãos e uma cozinha acessível

Quatro rodas, duas mãos e uma cozinha acessível

Por conhecimento de causa eu posso afirmar que há uma grande chance de que crianças criadas na casa da avó sejam cercadas de mimos e com todas as vontades feitas. Se for uma criança com deficiência e/ou mobilidade reduzida, o desejo de proteção pode ser potencializado, de forma que o seu entorno esteja repleto de facilidades para “compensar” as possíveis barreiras e desafios que ela encontrará.
À medida que elas se desenvolvem, a criação de um ambiente de atenção e amor para crianças com necessidades especiais é fundamental para o fortalecimento da sua confiança. O grande desafio é equilibrar o ambiente de proteção com um espaço propício ao autodesenvolvimento e à atribuição de responsabilidades de acordo com suas restrições. Continue lendo “Quatro rodas, duas mãos e uma cozinha acessível”

A trajetória entre querer e – descobrir – poder morar sozinha

A trajetória entre querer e – descobrir – poder morar sozinha

Ao olhar para menos de dez anos atrás e me recordar de uma garota que não conseguia percorrer uma distância de 20 metros conduzindo a própria cadeira de rodas, a ideia de morar sozinha poderia soar completamente absurda. Mas esse lapso temporal foi crucial para que muitas habilidades fossem desenvolvidas. Relembrar o êxtase de conseguir andar de táxi pelas ruas de sua cidade desacompanhada, algo tão corriqueiro e comum para a maioria das pessoas, a conquista da habilitação para dirigir, a compra do primeiro (e do segundo) carro, a primeira, segunda, terceira e quarta aprovações em concursos públicos, certamente eram fortes âncoras para que essa ideia pudesse germinar na cabeça de alguém que já tinha aprendido a lidar com as frequentes estatísticas pouco animadoras.

A grande questão é que a condição humana é muito mais complexa do que pregam as simplificações reducionistas das frases motivacionais. Ainda que um indivíduo seja capaz de superar uma gama de situações adversas, pode ser difícil alterar a influência que os paradigmas tão arraigados socialmente exerçam em suas próprias decisões, o que pode desencadear o processo de auto sabotagem. Continue lendo “A trajetória entre querer e – descobrir – poder morar sozinha”