A trajetória entre querer e – descobrir – poder morar sozinha

A trajetória entre querer e – descobrir – poder morar sozinha

Ao olhar para menos de dez anos atrás e me recordar de uma garota que não conseguia percorrer uma distância de 20 metros conduzindo a própria cadeira de rodas, a ideia de morar sozinha poderia soar completamente absurda. Mas esse lapso temporal foi crucial para que muitas habilidades fossem desenvolvidas. Relembrar o êxtase de conseguir andar de táxi pelas ruas de sua cidade desacompanhada, algo tão corriqueiro e comum para a maioria das pessoas, a conquista da habilitação para dirigir, a compra do primeiro (e do segundo) carro, a primeira, segunda, terceira e quarta aprovações em concursos públicos, certamente eram fortes âncoras para que essa ideia pudesse germinar na cabeça de alguém que já tinha aprendido a lidar com as frequentes estatísticas pouco animadoras.

A grande questão é que a condição humana é muito mais complexa do que pregam as simplificações reducionistas das frases motivacionais. Ainda que um indivíduo seja capaz de superar uma gama de situações adversas, pode ser difícil alterar a influência que os paradigmas tão arraigados socialmente exerçam em suas próprias decisões, o que pode desencadear o processo de auto sabotagem. Continue lendo “A trajetória entre querer e – descobrir – poder morar sozinha”