A experiência de receber um amigo com deficiência em minha casa

A experiência de receber um amigo com deficiência em minha casa

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. Isso significa que há 45 milhões de Pessoas com Deficiência (PCDs) somente no Brasil, número próximo à população da Inglaterra (53 milhões, aproximadamente). Até pouco tempo atrás, essas pessoas estavam em completo estado de invisibilidade na sociedade. Além de serem usurpadas dos seus direitos enquanto cidadãs, eram postas em verdadeiro cárcere induzido, quer seja pela necessidade e ausência de um acompanhante quer seja pela dificuldade em transpor as barreiras físicas das ruas, em calçadas, escadarias e até mesmo na dificuldade em encontrar transporte acessível. É certo que à medida que o ciclo da inclusão substitui o ciclo da invisibilidade, essa situação se altera e cada vez mais é possível ver as pessoas com deficiência verdadeiramente inseridas na sociedade.

Assim, é cada vez mais comum você encontrar pessoas com deficiências nas escolas, universidades, shows, shopping e no ambiente trabalho. E qual a chance você se dá de ampliar seu mundo, suas crenças e paradigmas ao se relacionar com pessoas que, aparentemente, são tão diferentes de você? Continue lendo “A experiência de receber um amigo com deficiência em minha casa”

Fornecedores: eles estão preparados para atender clientes com deficiência?

Fornecedores: eles estão preparados para atender clientes com deficiência?

Experimente ir a uma loja acompanhado (a) de um amigo (a) ou alguém da sua família que possua alguma deficiência. Não importa o tipo da deficiência nem o grau de severidade. Faça o teste de, juntos, pedirem ajuda ou orientação ao vendedor. Não dá para saber exatamente o que irá acontecer, mas há uma grande chance de que o (a) vendedor (a) concentre grande parte da sua atenção em você, “acompanhante sem deficiência”. Mas, será que isso é algo proposital? Continue lendo “Fornecedores: eles estão preparados para atender clientes com deficiência?”

Cadeira de rodas: prisão ou liberdade?

Cadeira de rodas: prisão ou liberdade?

No último dia 14 de março, morreu o físico Stephen Hawking. Para alguns, um gênio paralisado. Para outros, um aventureiro que, mesmo com graves limitações físicas, conheceu todos os continentes, com exceção da Oceania, andou de submarino, voou em um balão e, até mesmo, em um avião que fez uma série de manobras para produzir uma situação de gravidade zero. Continue lendo “Cadeira de rodas: prisão ou liberdade?”

Descobrindo Salvador – a acessibilidade da primeira capital do Brasil

Descobrindo Salvador – a acessibilidade da primeira capital do Brasil

O turista que chega em Salvador já é bem-recebido na saída do aeroporto. “Eu quero é prova e um real de big-big” se você nunca teve vontade de conferir de perto a beleza do caminho ornamentado por bambuzais que nos leva ao encontro de um dos lugares mais marcantes de expressão da cultura brasileira. Aliás, se você está querendo conhecer Salvador, é bom ir aprendendo algumas frases usadas por lá. Uma boa dica para começar é assistir ao filme “Ó paí ó”, cujos protagonistas são os grandes atores baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura. Logo você vai se pegar repetindo as frases mais usadas na região e entender que se um soteropolitano lhe disser que “quer prova e um real de big-big”, ele só está descrente de que algo irá realmente acontecer. Mas, esqueça aquele mito de que soteropolitano fala “meu rei”. Isso só acontece nas novelas e seriados. E por falar em soteropolitanos… Mais do que apreciar os pontos turísticos e conhecer a culinária, os viajantes que decidem visitar Salvador, irão encontrar pessoas acolhedoras, calorosas e disponíveis a ajudar. Continue lendo “Descobrindo Salvador – a acessibilidade da primeira capital do Brasil”

Contratação de empregados com deficiência: indo além das cotas

Contratação de empregados com deficiência: indo além das cotas

“Nós gostaríamos muito de lhe contratar, você atende aos pré-requisitos para ocupar a vaga, mas, infelizmente, as nossas instalações não estão adaptadas para receber uma empregada com deficiência”. Essa foi a resposta que eu já ouvi abertamente em um dos muitos processos seletivos pelos quais passei. Não só ouvi diretamente, como também ouvi nas entrelinhas, nas expressões faciais e naqueles momentos de desconforto, onde sequer era possível me entrevistar em um espaço adequado. Continue lendo “Contratação de empregados com deficiência: indo além das cotas”

Acessibilidade: custa mais caro ter ou não ter?

Acessibilidade: custa mais caro ter ou não ter?

É comum presenciarmos debates sobre os custos envolvidos no processo de adaptações de hotéis, residências e espaços públicos com vistas a garantir a manutenção da independência do indivíduo. Mas, pouco ouvimos falar sobre quais são os custos de não fomentar a diversidade através da eliminação de barreiras arquitetônicas. Continue lendo “Acessibilidade: custa mais caro ter ou não ter?”

Eu, meus irmãos e a Osteogênese imperfeita

Eu, meus irmãos e a Osteogênese imperfeita

(Este texto foi uma colaboração da irmã de Amanda, Michelle)

Será que eu conseguiria transcrever sobre todos esses anos convivendo com alguém que tenha osteogênese imperfeita? E quando esse alguém é sua irmã?

O que eu sei que eu consigo é sentir meu coração vibrar de orgulho em olhar para trás e ver o quanto todos nós fomos modificados desde que ela chegou. Sim, tudo mudou. As atenções, os cuidados eram redobrados, nossa rotina girava em torno do bem-estar dela e, principalmente, da sua proteção. Ninguém nunca nos disse que seria fácil. Muito pelo contrário, as previsões eram as mais desanimadoras. Continue lendo “Eu, meus irmãos e a Osteogênese imperfeita”